sexta-feira, setembro 26, 2008

O Som do Teclado Imaginário

por Ludi Nagiko Hashi

(sobre sons. e sobre escrever.)
Sei o som ideal de um teclado para se fazer palavras artesanalmente.
Cada som staccato faz o dedo ao montar o colar de contas do verbo.

Uma tecla, uma esfera seca. Cada batida leve ativa infinidades de desenhos impossíveis.
O ritmo dos dígitos acelera as mãos que buscam o orifício onde enfiar a próxima letra.
Porque só pela exata abertura do fonema, um desenho é capaz de se formar.

E as letras vão caindo. Deslizando pelo fio, derramam a percussão, rolando no teclado.
O cursor insistente exige mãos mais rápidas, implora de mim uma história mais forte.

Mas a força estraga a acústica do enredo a ser ideado.
No som do teclado imaginário, o esforço excessivo desfaz as verdades.

Bate no tipo como quem pisa para gritar que chegou.
A vontade só pela vontade, capricho vil, desafina a datilografia com sua mão enorme e grotesca.

A história dispensa impulsos, rejeita o som gutural.
O sonoro teclado ideal está rouco demais para bradar em alta voz.

É sussurro de pezinhos chegando sem avisar.
É tec-tec contando sem reclamar.
É índex e mindinho que se abrem em palmas e punhos, braços e corpo.

Conheço o teclado em que quero batucar e o ouço ao não ressonar.
Dou ouvidos ao desleixo e só escuto quando não tento.

Quando largo e sei que tanto faz.
Poderia apagar, fechar sem salvar.

Lembrar que tudo o que importa é saber.
Que percebi que som faz o teclado ao começar a imaginar.


(Thinking of sounds today.
Isn't it strange to compare the different sounds computer keyboards make when you type on them?
Yes. That was my conclusion so I had to laugh at my ludicrous thoughts once again. As I do every day.

But then a friend, as if reading my preposterous mind, asked me a precious question on the very same theme. Keyboard sounds... I had asked him to surprise me, to make me feel less deaf and null.

"What sound does a writer make when typing on an imaginary keyboard?"
I like the question, don't know where it came from. Whoever came up with it in the first place?

Dainty sounds? Vigorous sounds? Indifferent sounds? They all came invading my ears and I had to catch the noise they made.)

6 comentários:

milahashi disse...

Uau, ficou bonito, je je...
Muito bonito o seu blog, aliás.

Mayumi disse...

:)
é que eu sou irmã de designer.
hehe

Romeu Martins disse...

Aproveitar que as duas estão reunidas pra dizer que se eu já adorei os erros, imagina só o produto final...

E também que tanto a poesia quanto o blog são muito bonitos.

Beijos

Anônimo disse...

brigada, romeu!
espero que goste do produto final também... (é que às vezes os erros são a melhor parte!! rs... mas prometo que vou fazer o melhor possível.)
é,
texto bonito
blógui bonito...
hashimoto tudo bonito né.
bejos!

(eu)

milahashi disse...

"hashimoto tudo bonito né" é o vô Kiyoshi falando... :)

o som de fundo, as explosões e a edição estão ficando ótimos.

só a repórter que tá calminha demais...hehehe hmm hihihi

Que que issu?!

Romeu Martins disse...

Ah, agora entendi que é quem :)

Tô ouvindo agora as explosões... Tá ótimo, chega a arrepiar os pêlos do braço!